Como criar um currículo matador como programador?

1 using System;

3 public class ClasseExemplo

4 {

5 public static void Main()

6 {

7   Co      nsole.WriteLine(“Você pode escrever um código simples como este com os olhos fechados. Mas escrever um currículo está além de sua experiência. Você pode até abrir o Word, mas a tela está em branco. Isso é mais frustrante do que um programa travando e você não sabe por quê. Mas relaxe. Esta não é a causa do estresse. Neste guia, você aprenderá como escrever um currículo de programador”);

8 }

9 }

Neste guia, você aprenderá o código-fonte para escrever um currículo tão bom quanto o seguinte e revisará materiais de estudo que podem colocá-lo à frente no mercado de trabalho. Hora de começar outro projeto.

Como fazer um currículo para programador

Um currículo é o início e a porta de entrada para uma entrevista em seu próximo ambiente de trabalho, mas antes de começar a criar um currículo aleatório, é importante que você entenda seus objetivos e o que é preciso para alcançá-los.

Saiba o que você quer, com quem você quer se comunicar e qual caminho você quer seguir.

A primeira dica: personalize cada currículo que enviar. Por exemplo, não adianta escrever uma Bíblia com todo o seu conhecimento se a vaga exigir uma habilidade específica.

Os recrutadores querem que os profissionais escolham as melhores habilidades para o trabalho relevante. Se você possui outras habilidades e deseja destacá-las, mas não atende às vagas, pode discuti-las em entrevistas, por exemplo.

Confira os tutoriais criados para você preparar com sucesso o seu curso de programador!

Etapa 1 – A aparência do seu currículo de programador

Seu currículo de programador deve ser decente, o que significa que o design também importa.

Pense que os recrutadores recebem dezenas de currículos diferentes, cada um com diferentes habilidades, treinamento e experiência, cada profissional tentando se destacar dos demais.

Tanta informação pode sobrecarregar a capacidade de examinar todos os currículos de programadores recebidos. A ideia não é ignorar seu perfil à primeira vista, certo?

Então (novamente) o design é importante. Você precisa organizar as seções do seu currículo de uma forma que crie linhas lógicas de importância e relevância.

Para componentes visuais, você pode seguir estas dicas:

Use fontes fáceis de ler, como:

Arial;

Calibri;

Garamond;

Gill Sans;

Cambria;

Didot;

Georgia;

Helvetica.

Você pode usar negrito, itálico e sublinhado corretamente, mas não abuse de nenhum estilo.

Não use um tamanho menor que 10 e deixe 2,5 cm de respiro nas bordas, o que costuma ser suficiente. Para espaçamento entre linhas, um tamanho de 1,15 é suficiente.

Quanto ao tamanho: O currículo ideal é entre uma e duas páginas, com informações objetivas e seções separadas.

Devo adicionar uma foto? Este é um ponto de discórdia, algumas referências não indicam evitar o pré-julgamento ou algum outro mal-entendido.

Outras referências sugerem que os recrutadores podem se sentir conectados a você. Ao conhecer a pessoa por trás do currículo, ela tende a se lembrar do rosto, o que pode influenciar na decisão. Não há recomendações específicas aqui, você deve sentir se há algum benefício em adicionar uma foto ao seu currículo.

Etapa 2 – O cabeçalho do currículo de programador

Depois de entender os pontos anteriores. Vamos para a parte escrita. Esta seção começa com o preenchimento do título do currículo do programador.

Essa parte deve ser simples e direta para não desperdiçar o tempo do recrutador e distrair do que realmente importa.

É recomendável que você coloque seu nome em uma fonte maior do que o restante do título para dar ênfase. Em seguida, adicione sua área de especialização (por exemplo: Full-stack Developer Person, Front-End, Back-End, Tech Lead, Data Science, Mobile…).

Depois disso, insira o endereço e os principais detalhes de contato, como e-mail, telefone e site pessoal (se disponível).

Aproveite também para colocar seus links do LinkedIn e do GitHub. Você quer ser descoberto e conectado, certo?

Etapa 3 – Objetivo ou resumo profissional do seu currículo de programador

Neste ponto, você escreverá uma introdução ideal para quem você é e suas realizações profissionais.

Isso pode lhe render alguns pontos se o recrutador perceber que você é o profissional ideal para o trabalho, portanto, todo currículo precisa atender aos requisitos do trabalho para o qual você está se candidatando. Não se esqueça disso!

Se você tem mais de 2 anos de experiência:

Você pode começar resumindo seus pontos fortes, destacando conquistas e/ou habilidades e qualquer experiência relevante. Além disso, você pode incluir um 3 ou 4 na descrição do trabalho para mostrar que você é o candidato ideal!

Se você não tem muita experiência profissional:

Agora é a hora de colocar à mostra o seu aprendizado mais expressivo, conhecimento que você pode ter adquirido através da graduação, cursos, palestras, etc. Também é importante listar suas habilidades que mais contribuem para a empresa!

Quer um exemplo? Então pegue:

Desenvolvedor profissional com 4 anos de experiência. Tenho experiência em Java, Python e C# escrevendo diferentes tipos de aplicações para clientes da X Company, desde soluções financeiras até aplicações desktop. Foquei na otimização do processo e reduzi o tempo de teste em 20% sem perder qualidade. Na sua empresa, eu procuraria oportunidades semelhantes para otimizar processos.

Lembre-se de nunca copiar resumos e objetivos, seja sempre autêntico e transmita sua essência ao se vender para a empresa.

Etapa 4 – Experiências profissionais e acadêmicas em um currículo de programador

Como mencionado no início do artigo, aqui temos que prestar atenção à ordem cronológica inversa de sua experiência e formação.

Para experiência profissional

Esse é um ponto muito importante para que seu currículo se destaque, e é aqui que os recrutadores farão o possível para identificar seu tipo profissional.

Citando sua experiência, comece pelo cargo, que é um pouco maior que os demais, para aumentar a visibilidade, seguido pelos períodos de entrada e saída da empresa e experiência.

Se você não tem muita experiência, cada linha nesta seção é muito valiosa, então você deve adicionar alguns pontos extras, como: marcadores para as principais responsabilidades e realizações. Lembre-se de usar números e verbos de ação nesses pontos.

experiência acadêmica

Quanto ao histórico educacional em seu currículo de programador: mostre o título do curso e o grau concedido, o nome da instituição, a data de conclusão e a data de início do curso.

Essas informações são suficientes para dar aos recrutadores uma noção do seu momento acadêmico, não há necessidade de se aprofundar nele.

Agora, se sua experiência profissional é mínima e sua experiência acadêmica é grande, você pode adicionar informações adicionais como:

Carga horária;

Notas (se forem destaque);

Matérias relevantes para a vaga;

Alguma matéria optativa que faça sentido e;

Seu TCC, se estiver nessa fase da graduação.

Também é aqui que você ingressa nos cursos em andamento, desde que sejam relacionados à vaga para a qual está se candidatando.

Para isso, basta seguir o exemplo da experiência acadêmica, mas a data de conclusão deve estar “em andamento” e informar a carga horária total do curso.

Etapa 5 – Habilidades e competências no currículo de programador

É aqui que o currículo de um programador deve brilhar!

Para obter as habilidades e habilidades certas, siga estas dicas:

Liste todas as suas habilidades como desenvolvedor de software, sua pilha e tudo mais relacionado ao ambiente técnico.

Em seguida, avalie as vagas e escolha as habilidades que fazem mais sentido.

Se você não tem confiança para usar um idioma, mas não quer deixá-lo de fora do currículo, você pode dividi-los para ser forte e experiente.

Por exemplo, você tem experiência em programação Java e Python, mas seu conhecimento de PHP, Ruby e Node.js é superficial. Para o seu currículo de programador, não é recomendado colocar:

“Linguagens de programação: Java, Python, PHP, Ruby e Node.js

Isso mostra que há conhecimento suficiente para usar todas essas linguagens. Nesse caso, o melhor a fazer é:

Linguagens de programação:

Forte: Java e Python.

Conhecedor: PHP, Ruby e Node.js.

Lembre-se de nunca se classificar como iniciante ou especialista. Os aprendizes iniciais não são elegíveis para o conhecimento e, se perguntarem por quê, você terá que se contentar, como seu curso de programador.

Da mesma forma, você já viu um especialista (real) por aí dizendo que é especialista nisso ou naquilo? Dificilmente, porque as pessoas que conheço sempre enfatizam que ainda há muito a aprender, independentemente da experiência.

Mas não se limite apenas às habilidades técnicas, liste suas habilidades sociais também.

Além disso, liste seu idioma e fluência, prêmios, interesses e hobbies.

Dicas sobre como colocar uma linguagem de programação em seu currículo

Além do acima não se nomear especialista ou iniciante e dividir seu conhecimento em pontos fortes e conhecedores, vou deixar algumas dicas para te ajudar a construir seu currículo.

Primeira dica: Cite, descreva, nomeie ou sinalize de alguma forma que a informação vem do seu conhecimento de cada idioma que você usa em seu currículo.

Os recrutadores precisam entender de onde vêm suas habilidades em um determinado idioma. Você pode adicioná-lo ao Work Experience, Add Information Step (que vem a seguir) ou onde quiser, mas esses dois são os melhores lugares para ir.

Por exemplo, diga o que ler, cursos e trabalhos realizados, seus projetos pessoais e outros conteúdos que indiquem 4 anos de experiência em Java.

Segunda dica: classifique essas habilidades/idiomas em ordem de importância para a vaga para a qual você está se candidatando.

Depois de descartar habilidades que não fazem sentido para o trabalho, você pode criar uma sequência delas para facilitar a identificação de sua área de especialização.

Etapa 6 – Informações adicionais no currículo de programador

Você não precisa se ater às seções tradicionais do seu currículo.

Se você tiver informações sobre você que sejam relevantes para o cargo, mas não se encaixem na seção anterior, crie uma seção específica para incluí-las.

Alguns exemplos comuns de seções extras:

Prêmios;

Certificados;

Voluntariado;

Projetos paralelos;

Publicações.

Alternativamente, você pode criar uma seção no final do seu currículo de programador chamada “Informações Adicionais” e colocar nela todos os itens que não se encaixam nas seções anteriores.

Como ser encontrado pelas melhores empresas

OK, você já conhece a lógica e sabe como escrever um curso de programador matador, mas há mais alguma coisa para aprender? bem aqui!

O que você precisa saber é que existe uma maneira mais eficaz de chamar a atenção de um recrutador.

As empresas estão procurando desenvolvedores, não empresas procurando novas vagas de emprego.

Back To Top